12 músicas atuais e empoderadoras de artistas brasileiras

E aí, curte um som? Quem não curte, né. E quando é possível unir boas melodias a letras gostosas (leia-se: não escrotas), ouvir música torna-se ainda melhor – já que podemos cantá-las sem o risco de nos sentirmos culpados por ofender alguém. Mas, a questão da representatividade dentro da indústria musical vai muito além do bem-estar social a curto prazo. Contra a misoginia e a desigualdade de gênero, confira 12 canções nacionais poderosas de artistas femininas da atualidade:

 

1. LALÁ – KAROL CONKA

A rapper de cabelo cor-de-rosa, que viu sua carreira decolar nos últimos anos, lançou seu single mais polêmico até então. Lalá é um grito das mulheres hétero e bissexuais pelo bom desempenho sexual de seus parceiros. Com uma letra nada explícita, mas tão poderosa quanto se fosse, Karol canta pelas mulheres em meio a um ambiente musical dominado pelo gênero masculino. Escuta só!

2. RESPEITA – ANA CAÑAS

Ana Cañas é uma artista que não tem medo de se posicionar politicamente. A partir da letra de Respeita, Ana tece um panorama geral sobre a violência ao corpo e à individualidade de cada mulher. “Respeita, respeita, respeita as mina, porra!

3. DECOTE – PRETA GIL & PABLLO VITTAR

Decote é o recente single de Preta Gil com a participação da drag queen Pabllo Vittar. A letra destaca um desejo que muitas mulheres têm: sair pra dançar sem a necessidade de ouvir comentários machistas e desagradáveis. Afinal, do que interessa o decote, a roupa e a aparência, quando o que importa mesmo é rebolar diva e livremente?

4. 100% FEMINISTA – MC CAROL & KAROL CONKA

Ô, título poderoso! Nem precisa dizer muita coisa, né? Quando duas mulheres negras e maravilhosas, uma funkeira e outra rapper, se unem pra fazer um single, só coisa boa pode sair. “Se tavam querendo peso/ Então toma esse dueto”!

5. MINHA XOTA TE AMA – LUANA HANSEN (versão de Deu Onda – MC G15)

A rapper negra, lésbica e periférica, Luana Hansen, já está na estrada da música há mais de uma década. Mas, apenas recentemente, tem ganhado reconhecimento de um público maior, principalmente depois de lançar sua versão de Deu Onda – uma composição de cunho lésbico e feminista baseada no hit do verão 2017. Olha só:

6. CAMADAS – CÉU

A cantora da chamada nova MPB apresenta suas tantas camadas nessa música de seu último álbum, Tropix. Aquela ideia extremamente comum e machista de que as mulheres são vazias e superficiais é desconstruída na bela e melódica canção de Céu. Vale super a pena dar um cliquezinho aí embaixo!

7. LOKA – SIMONE & SIMARIA E ANITTA

Sabe quando chega o fim de semana e você tá doida pra se jogar na night? Então, essa música é sobre isso…e muito mais. É ótimo poder ver uma dupla feminina deixando sua marca em um estilo musical como o sertanejo que, por anos, foi totalmente dominado por homens. A canção, que conta com a participação da diva internacional Anitta, sugere que você esqueça aquele boy lixo e se jogue bem “loka” na balada. Bora!

8. EU SOU UM MONSTRO – KARINA BUHR

Essa música é poderosa. E. CO.MO. É. Karina Buhr é conhecida por cantar composições impactantes e bastante originais, dentre uma porção de gêneros misturados. Eu Sou Um Monstro conversa diretamente com a mulher de baixa autoestima. “Mulher, tua apatia te mata/ Não queira de graça/ O que nem você dá pra você, mulher!”. Valorize-se!

9. BRASA – JADE BARALDO

A jovem artista, ex-participante do reality show The Voice Brasil 2016, lançou seu primeiro single no ano passado – e com o pé direito. Apropriando-se de termos comumente machistas e invertendo seu sentido, Jade canta e escreve de forma empoderadora:

10. SOU DESSAS – VALESCA POPOZUDA

Valesca Popozuda é uma cantora que tem crescido muito nos últimos tempos. De rivalidade feminina, com Beijinho no Ombro, para noções de sororidade muito mais refinadas, a artista tem mostrado seu outro lado, já bastante amadurecido. Escuta só essa canção, de letra libertadora e melodia cheia de referências musicais incríveis:

11. AS LOUCAS – RITA LEE

Ah, Rita Lee! Quem não conhece, né? Rita sempre foi reconhecida por sua subversão e por ser o que muitos chamam de “louca”. Então, por que não cantar contra esses “muitos” e assumir a própria porra-louquice em forma de poesia? Essa é para os hipócritas: “Eles amam as loucas/ Mas se casam com outras”.

12. MEU RECADO – ALICE CAYMMI

E, por último – mas não menos importante –, temos a rica mistura de estilos musicais de Alice Caymmi. Dentre uma variedade de letras feministas, a artista canta o seu recado a um ex-amor abusivo: “Eu não preciso de você/ E tudo que eu quero é sobreviver/ A isso que você criou/ E o destino é meu melhor amigo/ E eu espero que nunca mais/ Aconteça isso comigo”.

*Videoclipes: YouTube

Imagem: divulgação/ arte Francamente, querida!

 

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta