Crítica: Alto Mar (2ª Temporada)

O Bárbara de Braganza segue rumo ao Rio de Janeiro. Em seu interior, mistérios envolvendo a família das irmãs Eva (Ivana Baquero) e Carolina (Alejandra Onieva) não deixam de vir à tona. Na nova temporada de Alto Mar, mais uma avalanche de conflitos e reviravoltas torna caótica a viagem dos passageiros do transatlântico espanhol. 

‘Alto Mar’/ Divulgação

Abraçando o melodrama em todas as suas convenções, a série segue sem economizar na quantidade e na frequência das confusões – desta vez, provocadas principalmente pela chegada de um grupo de náufragos. 

A maior adição da temporada é Cassandra (Claudia Traisac), uma das pessoas resgatadas pela tripulação do navio. Sensitiva e mística, a mulher insere alguma dose de sobrenatural à trama principal; além de deixar à flor da pele personagens que já vinham abalados desde a primeira leva de episódios.

O DRAMALHÃO

A essa altura do campeonato não restam dúvidas: Alto Mar é pura e simplesmente um novelão. Um folhetim que aposta na tragédia, no romance, na correria de investigações sobre “quem matou ciclano?”, nos galãs, nas mocinhas destemidas e nos personagens de índole duvidosa para manter o público vidrado. Previsível? Sim. Mas nem por isso menos envolvente. É inegável, afinal, o alto valor de entretenimento da obra.

Imagem: divulgação

Sem grandes particularidades estéticas ou narrativas, a série espanhola se destaca por apelar ao seu poder de tirar o fôlego, digamos. Também pudera: com tantos conflitos de relacionamento, reveses e infortúnios da família Villanueva, fica impossível não sentir-se encorajado a maratonar os episódios de uma só vez.

Alto Mar é isso: uma série que constrói personagens magnéticos (alguns mais bem aproveitados que outros) e os conduz por uma trama repleta de adversidades – ambientada num navio, de onde ninguém pode sair e onde todos ficam extremamente vulneráveis e maleáveis às necessidades do roteiro.

Como resultado de tantos acontecimentos por temporada, a viagem de duas semanas da Espanha para o Brasil mais parece ter durado dois meses. Não porque os episódios sejam arrastados, mas porque tudo soa muito sentimentalmente carregado – característica que deve agradar os fãs apegados aos chavões do melodrama.

Ao final da temporada, ficam dúvidas sobre os planos futuros dos realizadores. O Rio de Janeiro servirá de cenário para a série? O sobrenatural será usado novamente ou acabará abandonado? Sem as limitações de espaço de um navio em alto mar, como os conflitos e os tumultos serão explorados em seu máximo? Acompanharemos a vida de todos aqueles personagens (e suas respectivas subtramas) em terra firme ou eles logo serão enfiados em uma nova viagem?

Leia também: “Alto Mar, da Netflix, é a série novelão espanhol da vez”
Trailer (em espanhol):
(Fonte: Netflix Latinoamérica/ YouTube)

Ficha técnica – 2ª temporada

Criação: Ramón Campos e Gema R. Neira

País: Espanha

Ano: 2019

Elenco: Alejandra Onieva, Ivana Baquero, Jon Kortajarena, Eloy Azorín, José Sacristán, Claudia Traisac

Gênero: Drama

Distribuição: Netflix

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta