Aeroporto Central, de Karim Aïnouz, estreia diretamente nas plataformas digitais

Inaugurado em 1923, planejado para ser o primeiro aeroporto central de Berlim e usado como base militar pelo Regime Nazista, Tempelhof ironicamente se transformou em parque público e abrigo para refugiados à espera de asilo. Foi nesse espaço que o diretor cearense Karim Aïnouz  (A Vida Invisível) filmou, entre 2015 e 2016, no auge da crise migratória, o documentário Aeroporto Central.

Nos primeiros 10 minutos de filme, Aïnouz introduz a história do aeroporto desativado, estreitamente relacionada à história alemã. Ao som de uma trilha clássica e imponente, o cineasta também nos apresenta o espaço físico de Tempelhof. Somente depois disso a produção alemã-brasileira estabelece sua principal característica: a de observadora das dinâmicas humanas e burocráticas do lugar.

Dois anos atrás, o filme recebia o Prêmio da Anistia Internacional no 68º Festival de Berlim. Hoje, após ter seu lançamento comercial nas salas de cinema cancelado devido à pandemia de COVID-19, o longa está disponível para aluguel e compra nas plataformas digitais (Now, Vivo Play, Oi Play, Itunes, Google Play, Filme Filme e Looke).

‘Aeroporto Central’/ Divulgação

DE SÍMBOLO ARQUITETÔNICO NAZISTA A ESPAÇO DE ACOLHIMENTO

Ibrahim Al Hussein, jovem sírio de 18 anos, é o principal personagem de Aeroporto Central.  Acompanhando o rapaz, Aïnouz registra situações rotineiras do dia a dia no abrigo temporário, como a organização das vacinas e consultas médicas, os momentos das refeições, a falta de privacidade, a espera pelas decisões das autoridades alemãs sobre os vistos, as celebrações de datas especiais. Ao mesmo tempo, Ibrahim compartilha sensações, memórias de casa e contabiliza os vários meses que passa em Tempelhof .  

A relação entre passagem de tempo e espaço, aliás, é ponto-chave do filme. Confinados e sem previsão de respostas sobre seus futuros, as vítimas das crises migratórias vivem em constante estado de suspensão. Não podem fazer planos, não sabem quando recuperarão alguma normalidade. 

Colocando suas lentes na posição de observadoras discretas, portanto,  o diretor dá tempo aos silêncios e protagonismo à atmosfera de resiliência que paira no ambiente – não raras vezes melancólica, mas sempre admiravelmente esperançosa.

Assim, Aeroporto Central dispensa trabalhar com dados frios e opta por compor, principalmente com imagens, o que há dentro e fora do Tempelhof; documentando um pequeno recorte de como se dá a interação entre a movimentação da história humana e a geografia dos lugares. 

Trailer:
(Fonte: Canal Brasil/ YouTube)

Ficha Técnica:

Direção: Karim Aïnouz

Duração: 1h37

País: Alemanha, Brasil

Ano: 2018

Gênero: Documentário

Distribuição: Mar Filmes, Canal Brasil

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta