[Crítica] O Bosque: nova série francesa da Netflix é pouco autêntica, mas funciona

Crítica: Glacé