3 curtas-metragens nacionais e dirigidos por mulheres para assistir no YouTube

Em março, a Francamente, querida! publicou uma lista com três curta-metragens nacionais dirigidos por mulheres negras e uma outra com três indicações de curtas-metragens nacionais para assistir no site Porta Curtas. Desta vez, listamos três curtas nacionais dirigidos por mulheres que você pode assistir facilmente na internet. Confira:

 

CORES E BOTAS (2010)

Joana (Jhenyfer Lauren) é uma garotinha negra que sonha em ser paquita da Xuxa. Apesar de pertencer a uma família negra de classe média, os desejos da menina logo esbarram em questões que vão além de seus esforços, como o preconceito racial sistêmico que impera no país.

Neste curta, a diretora Juliana Vicente consegue expor as desigualdades raciais no Brasil a partir de um ponto de vista muito especial: o de uma criança que, apesar de viver com certo conforto, ainda esbarra na ausência de representatividade que permeia as coisas mais banais, como um programa infantil da TV aberta das décadas de 1980 e 1990.

Cores e Botas (Fonte: Preta Portê Filmes / YouTube) 

 

UM RAMO (2007) 

Um Ramo é um dos muitos excelentes filmes realizados pela dupla Marco Dutra e Juliana Rojas. Ambos são conhecidos por trabalharem com os gêneros de terror e suspense, e aqui não é diferente. Criando uma atmosfera de vulnerabilidade, incerteza e medo, os diretores conduzem a história de  Clarice (Helena Albergaria), uma mulher que começa a perceber que algo não está certo com seu corpo quando folhas e ramificações passam a sair de sua pele.

Ao passo em que o corpo da protagonista é tomado por uma espécie de vegetação, alguns questionamentos são postos pelo curta: o que está provocando a “doença”? O que ela significa? Como lidamos com o desconhecido? Quão desesperador é não ter controle sobre o próprio corpo?

Um Ramo (Fonte: Trabalhar Cansa/ YouTube)

 

DE CASTIGO (2014) 

Atendendo ao pedido da mãe, o jovem Felipe (Max Huszar) é obrigado a passar alguns dias na casa de sua tia-avó Guta (Lilian Blanc). Aos poucos, e com a convivência, os dois vão descobrir que uma parceria entre gerações é completamente possível.

Despretensioso, divertido e nem um pouco superficial, o curta da diretora Helena Ungaretti fala sobre conflitos geracionais de uma maneira muito única e raramente explorada no cinema, provando que a complexidade e os impasses do ser humano vão muito além da idade.

De Castigo (Fonte: Hysteria / YouTube)

 

COMENTÁRIOS

2 comentários em “3 curtas-metragens nacionais e dirigidos por mulheres para assistir no YouTube”

Deixe uma resposta