Sobre o medo de ficar de fora e 5 dicas de perfis – realmente – empoderadores do Instagram

O Instagram é uma ferramenta usada tanto para o trabalho quanto para momentos de lazer. Quem tem uma conta na badalada rede social pode encontrar alguma dificuldade ao abandonar o feed de notícias, uma vez que este nos mostra as imagens mais recentes e interessantes daqueles que seguimos.

No último – e mais frequente – caso, o Instagram acaba se transformando em uma fonte de anseios, principalmente quando nos deparamos com uma selfie de alguém que julgamos ser mais bem-sucedido ou dentro dos padrões de beleza do que nós; ou na ocasião em que a notificação de uma curtida há muito esperada nunca chega; e, até mesmo, no momento em que visualizamos uma foto mais enquadrada ou de definição mais alta do que as nossas.

Capa de ‘Cavala’, álbum de Maria Beraldo / Divulgação

Nos dicionários ingleses, o hábito de acessar às redes sociais diariamente já tem um nome: “FOMO” (fear of missing out). Em tradução para o português, a expressão seria algo como “medo de ficar de fora”. Este “ficar de fora” seria, no caso, o sentimento de exclusão daquilo que é discutido com instantaneidade nas redes sociais – seja importante ou não. Por isso, buscamos familiaridade e acesso às ferramentas mais modernas e conhecidas possíveis. Além do que, dessa forma, ampliamos a nossa rede de contatos e de trocas de informação.

Ainda que sejamos cautelosos com aqueles que seguimos no Instagram, não são raros os casos em que as redes desencadeiem altos níveis de ansiedade e descontentamento em seus usuários. A nós, apenas nos cabe filtrar, ao máximo, tudo aquilo que nos será mostrado.

Para te ajudar a deixar o seu feed mais “bem-frequentado”, diminuir seus níveis de estresse com modelos tóxicos e expandir seu relacionamento com o Instagram positivamente, selecionamos 5 perfis feministas e empoderadores! Dê uma olhada aí embaixo e curta aquele(s) que mais te agrada(m)!

 

1. Ellora Haonne (@ellorahaonne)

A influenciadora digital de apenas 21 anos, Ellora Haonne, faz vídeos, modela, dá dicas de saúde física e mental, e já até escreveu um livro! Discutindo assuntos importantíssimos para adolescentes e jovens adultas, Ellora é, definitivamente, uma youtuber que vale a pena de se acompanhar. Seu Instagram é repleto de conselhos responsáveis, maduros e dados com muito alto astral. Um perfil para você acessar quando estiver se sentindo desmotivado(a) na vida.

(Fonte: Instagram)

 

2. Maria Flor (@mariaflor31)

Junto com seu parceiro, Emanuel Aragão, a atriz Maria Flor criou um canal no YouTube para falar abertamente sobre sexo, relacionamentos, feminismo, inseguranças, corpo e o que mais lhe vier à cabeça. Em seu Instagram, a artista compartilha alguns trechos dos vídeos do canal, além de momentos de sua vida com Emanuel, fotos de seus trabalhos e mensagens empoderadoras. Siga lá!

(Fonte: Instagram)

 

3. Rita Wainer (@ritawainer)

Rita é uma artista plástica de traço característico e reconhecido – tanto em seu meio restrito quanto pelas ruas povoadas. Há alguns grafites de Wainer espalhados pelas paisagens urbanas brasileiras, como a grande pintura na fachada do Boulevard Olímpico, no Rio de Janeiro. Em sua conta do Instagram, podemos apreciar os retratos de Rita e suas demais ilustrações; muitas vezes acompanhadas de mensagens escritas sobre dor e/ou amor.

(Fonte: Instagram)

 

4. Maria Beraldo (@mariaberaldo_)

Dentro do cenário da chamada nova MPB, a voz doce de Maria Beraldo já faz barulho há algum tempo. Além de usar seu Instagram como instrumento de comunicação e militância LGBT, Maria também discute o corpo da mulher, a representação de sua genitália e a resistência através da não-depilação dos pelos femininos.

Ainda assim, a sutileza contida no que é cantado – e postado –, por Beraldo, traz a possibilidade de uma convivência pacífica entre o perfil e seus seguidores. Nada de NSFW (not safe for work, ou “não seguro para o trabalho”) aqui. A expressão cândida no rosto de Maria Beraldo carrega urgência no conteúdo de suas postagens, que de bobas não têm nada.

(Fonte: Instagram)

 

5. Tássia Reis (@tassiareis_)

Sempre que uma mulher negra, com um corpo de medidas fora dos padrões socialmente impostos, publica fotos sem autocensura na internet, o patriarcado é tombado mais um pouco. Afinal, o racismo, o machismo e a gordofobia (aversão a pessoas gordas) são problemáticas que podem detonar completamente o bem-estar de uma pessoa.

Em contrapartida, a autoconsciência e o amor próprio de uma mulher negra e gorda podem surtir um efeito maravilhoso na mente de semelhantes. Mas, para muito além disso, o Instagram da cantora Tássia Reis é um divulgador de seu trabalho artístico e empreendedor. Ademais da música, a artista ganha a vida através de sua própria marca de roupas. Se existe um modelo de pessoa para acompanharmos no dia a dia, essa pessoa é Tássia.

https://www.instagram.com/p/BneuU43lSQI/?taken-by=tassiareis_

(Fonte: Instagram)

 

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta