Cómo Sobrevivir Soltero: a comédia romântica original Prime Video dos irmãos Zurita

Sebastián Ibarra (Sebastián Zurita) é um ator de um filme só, conhecido apenas pelo papel que interpretou há uma década na comédia romântica “Despecha2”; sucesso de público e chacota entre a crítica especializada. Foi também durante esse trabalho que ele conheceu Lucía (Pamela Almanza), a atriz com quem construiu um sólido e longo relacionamento. Já ajoelhado, prestes a pedir a moça em casamento durante uma exibição 3D comemorativa de 10 anos do filme, Sebastián descobre pela imprensa fofoqueira, em público, que estava sendo traído. 

‘Cómo Sobrevivir Soltero’/ Divulgação

Com o pedido de casamento transformado em um espetáculo midiático humilhante, seu relacionamento de anos acabado e sem bons trabalhos em vista, Sebastián se apoia nos amigos Fabiana (Tato Alexander), Daniel (Roberto Flores), María Fernanda (Lucía Gómez-Robledo), Fish (Fabrizio Santini) e Gonzalo (Octavio Hinojosa) para “sobreviver solteiro”.

Criada e produzida pelos irmãos Zurita (Emiliano e Sebastián), a série mexicana original Prime Video Cómo Sobrevivir Soltero abraça vários dos clichês típicos das comédias românticas. O olhar experiente dos dois atores sobre as particularidades do mercado de entretenimento mexicano, porém, faz toda a diferença para uma obra que brinca com metalinguagem.

A COMÉDIA ROMÂNTICA COMO COSTURA

Sim, mais uma comédia romântica lançada por plataformas de streaming. Essa, no entanto, se destaca pela excelente desenvoltura do elenco e pela condução prudente no trato dos conflitos de relacionamento contemporâneos. 

Diferente de Te Quiero, Imbécil, filme espanhol original Netflix que também aborda um término de relacionamento sob a perspectiva masculina, Cómo Sobrevivir Soltero consegue transitar por diversas situações de crise com estratégia; indo além de representações óbvias de masculinidades e tornando as interações entre seus vários personagens bastante convincentes. 

Imagem: divulgação

Contudo, estamos diante de uma série que parte de lugares comuns para avançar sua sátira sobre o próprio gênero e o universo do show business. Decisão arriscada, que vai se equilibrando pela linha tênue – e bamba – entre sagacidade debochada e esculhambação. Vez ou outra, por exemplo, o humor do texto fica a ponto de declinar para o mau gosto. Outras vezes, a narrativa toma rumos positivamente surpreendentes.  

Algo semelhante acontece com a concepção dos personagens, que nascem de estereótipos (como “a feminista” e o solteirão mulherengo) e depois, com o avançar da trama, são devidamente humanizados; preenchidos com a naturalidade de seus erros e acertos e, consequentemente, afastados de caricaturas. Então, mesmo que nem sempre individualmente bem explorados, os amigos do protagonista acabam apresentando singularidades importantes para a composição do universo de Sebastián Ibarra.

Nesse sentido, nota-se ainda que a produção ganha força conforme evidencia o uso do gênero comédia romântica como um artifício a mais na costura de um enredo que vai além de trapalhadas amorosas. Obviamente já é por si só irônica a história de um ator de comédias românticas ruins cuja vida vira uma comédia romântica ruim, e os Zurita executam com destreza esse viés da série, mas o que eles fazem de melhor é apontar para as ironias de ser ator no México.

PROFISSÃO ATOR 

Depois de ter seu fracassado pedido de casamento espetacularizado pela imprensa sensacionalista, Sebastián começa a vivenciar o luto do término. Nesse meio tempo, tentando aprender a voltar a se relacionar, o personagem por acaso é escalado para o elenco do novo filme de um prestigiado e excêntrico diretor independente.

É nas afiadas e bem-humoradas tiradas sobre a profissão ator que a ficção de Cómo Sobrevivir Soltero dialoga mais nitidamente com as experiências de seus criadores – justificando o protagonista carregar o mesmo nome de seu intérprete.

Imagem: divulgação

Um ator marcado por um trabalho popular dificilmente consegue bons papéis. Diretores independentes não escalam atores de novelas. Para sobreviver de cinema independente é preciso intercalar dois trabalhos com um comercial. Quantos filmes mexicanos sequer conseguem estrear? Estes são alguns dos apontamentos feitos pelos irmãos Zurita sobre os perrengues da carreira artística. Apontamentos feitos, claro, com a malícia de quem conhece bem o cenário. Sebastián e Emiliano, afinal, já passaram por novelas, filmes comerciais, filmes independentes e séries de TV.

Confere uma dose extra de zombaria à série as participações especiais dos ex-RBDs Christian Chávez, Maite Perroni e Alfonso Herrera; figuras que devem saber muito bem como é precisar superar estigmas de carreira para conseguir reinserção no mercado.

Sob o pretexto de comédia romântica com ares de sitcom, e assumindo formato de crônica, embora não exatamente inovadora, Cómo Sobrevivir Soltero se aventura pela metalinguagem com descontração, desembocando numa crítica midiática que aposta no rir das próprias desgraças para sustentar seu valor de entretenimento.

A primeira temporada da série conta com 10 episódios, que estão disponíveis no catálogo do Amazon Prime Video desde 26 de junho. 

Ficha técnica 

Criação: Emiliano Zurita e Sebastián Zurita

País: México

Ano: 2020

Elenco: Sebastián Zurita, Tato Alexander, Pamela Almanza, Roberto Flores, Lucía Gómez-Robledo, Octavio Hinojosa, Fabrizio Santini, Memo Villegas, Alfonso Herrera, Maite Perroni, Christian Chávez

Gênero: Comédia

Distribuição: Prime Video

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta