Noirblue: a dança como representação do deslocamento político dos corpos

O site Porta Curtas disponibilizou, recentemente, todos os curta-metragens indicados no primeiro turno do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019. São filmes de ficção, documentários e animações que juntos formam um panorama da produção de curtas nacionais de 2018. Noirblue – Deslocamentos de uma Dança, produção independente inteiramente realizada por Ana Pi, é um dos curtas disponíveis.

A obra começa quando Pi viaja para a África Subsariana numa missão de questionamento da história oficial dos deslocamentos dos povos negros, pesquisa sobre origens e busca de ancestralidade. Uma vez em seu destino, ela passa a interagir com pessoas e lugares – justificando o noir do título – através de performances.

‘Noirblue’ / Divulgação

Envolta em tecidos azuis, a realizadora usa a dança como ritual de reconexão para, a partir de um corpo individual, acessar as camadas políticas do coletivo. Assim, os deslocamentos performáticos de um corpo representam a ancestralidade de muitos corpos políticos deslocados pelo tempo e pelo espaço por forças diversas – geralmente opressoras. Nesse contexto, a dança de Pi corresponde aos movimentos do partir e retornar.

Um tanto quanto experimental, Noirblue ficcionaliza os registros de subjetividades e experiências de sua realizadora. O filme é inteiramente narrado em off e, enquanto imagens da coreografia da protagonista enchem a tela, ela comenta sobre seus sentimentos e sensações.

Ao longo de quase 30 minutos, o curta generosamente nos leva junto na jornada de compreensão sobre pertencimento de Pi. As coreografias são completamente imersivas, e a narração dá um tom de pessoalidade importante a uma obra que parte do individual para tratar de uma história que envolve tanta gente, tantos lugares e tanto tempo.

De certo modo duro, mas terno e sensível, o filme de Ana Pi reafirma a importância da memória, da comunidade, da crítica e da arte para o caminhar da civilização.

Leia também: 3 curtas-metragens nacionais e dirigidos por mulheres negras que você não pode deixar de ver

Ficha técnica

Direção: Ana Pi

Duração: 27 min

País: Brasil

Ano: 2018

Gênero: Ficção, Performance

Distribuição: Porta Curtas

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta