Peripatético e o ser jovem na periferia

Peripatético é aquele que ensina passeando, como fazia o filósofo grego Aristóteles; e é também o título do filme de Jéssica Queiroz. Lançada em 2017, a produção sempre figura nas listas melhores curtas-metragens contemporâneos do país. Na trama, Simone (Larissa Noel), Thiana (Maria Sol) e Michel (Alex de Jesus) são jovens encarando as demandas e os desafios do início da vida adulta na periferia de São Paulo.

Rodado na Zona Leste, o curta se passa em 2006,  quando a cidade enfrentava uma onda de violência causada por ações do PCC (Primeiro Comando da Capital). Período no qual embora houvesse tensão e toques de recolher, a vida, como sempre e para os mesmos, não podia parar. 

‘Peripatético’/ Divulgação

JUVENTUDE E PERIFERIA

Simone procura pelo primeiro emprego para ajudar nas contas de casa e bancar um curso universitário; Thiana estuda para passar no concorrido vestibular de medicina sabendo que seus pais não têm dinheiro para bancar seu cursinho por mais um ano; e Michel parece ainda não saber qual rumo tomar. Perambulando pelo bairro, os três amigos conversam sobre as perspectivas de futuro de cada um e suas  limitações. Ao caminhar, vão além da interação com o espaço físico e sugerem como se dá o jogo das dinâmicas sociais. 

Assim, durante 15 minutos Peripatético coloca em xeque o mito da meritocracia através de alegorias muito pertinentes; expõe as engrenagens das violências urbanas e policiais sem ser óbvio; problematiza relações indivíduo e trabalho e discute a relação do jovem periférico – representante da camada mais vulnerável da sociedade, tanto em relação à classe social  quanto geograficamente – com as expectativas da vida adulta (trabalho, família, educação). 

Responsável pela consolidação de Jéssica Queiroz como importante nome do cinema negro, feminino e periférico do país, o curta aposta numa linguagem popular para ganhar a identificação da audiência. Visualmente, um trabalho de animação dialoga com a arte urbana dos muros do bairro. No texto, os personagens “ensinam” sobre suas realidades com muita lucidez.

Colocando sonhos e desgastes da juventude periférica em cena, então, Queiroz desenvolve um retrato potente de contextos que dizem respeito a maioria dos jovens brasileiros dos centros urbanos; um filme que facilmente ganha a simpatia do público e que é capaz de rebater categoricamente os mais ignorantes discursos e opiniões sobre as desigualdades que formatam nossa sociedade.

Peripatético está disponível no YouTube

Ficha técnica

Direção: Jéssica Queiroz

Duração: 15 min

País: Brasil

Ano: 2017

Elenco: Larissa Noel, Maria Sol, Alex de Jesus

Gênero: Drama

Distribuição: —

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta