3 ótimos filmes brasileiros de gênero

Você sabe o que é um filme “de gênero”? Todos os filmes são caracterizados por, pelo menos, um gênero, é claro – como comédia, terror, romance, ação…–; mas, uma produção designada como sendo “de gênero”, de modo popular, refere-se aos longas-metragens de elementos bem marcantes.

Um filme de terror, por exemplo, normalmente apresenta traços narrativos e técnicos muito próprios. Interrupções bruscas, temas desconcertantes e personagens violentos são essenciais em uma boa produção de tal categoria. No Brasil, produções com características muito específicas, infelizmente, não chamam tanto a atenção do público. Famoso por suas comédias, o cinema nacional conquista bilheterias através deste gênero – e de sua má qualidade.

‘Minha Mãe É Uma Peça’, comédia nacional de sucesso / Divulgação

Com títulos muito parecidos e bastante superficiais, as comédias nacionais são uma verdadeira exceção dentro do cinema “de gênero”; já que atraem grandes audiências. Quanto às premiações do audiovisual, filmes de terror de alta qualidade, por exemplo, dificilmente são indicados a prêmios internacionais; principalmente nos EUA e Europa.

Em Hollywood, esse parâmetro não é muito diferente, uma vez que as produções nativas de drama são a esmagadora maioria dos concorrentes em premiações. Assim, o Brasil espelha-se no vizinho nortista ao desvalorizar certos longas-metragens, mas com o agravante de ter de concorrer internamente com os norte-americanos. Pensando nisso, selecionamos três ótimos filmes brasileiros recentes e considerados “de gênero”, para você assistir, divulgar e valorizar, ainda mais, o nosso cinema. Confira abaixo!

 

Mate-me Por Favor (2015)

Gênero: Suspense, terror, drama.

Escrito e dirigido por Anita Rocha da Silveira, Mate-me Por Favor fala sobre temas comuns da adolescência, e também sobre o interesse mórbido dos jovens, no geral, por crimes misteriosos e violentos.

Em um colégio carioca, a falta de maturidade sexual e psicológica de seus estudantes faz com que uma série de assassinatos desperte o interesse dos mesmos. No meio disso, a menina Bia (Valentina Herszage), de quinze anos, vê-se intimamente envolvida com os casos, à medida em que explora a própria sexualidade. Premiado no Festival do Rio, em 2015, por Melhor Direção e Atriz (Herszage).

Imagem: divulgação

 

O Lobo Atrás da Porta (2013)

Gênero: Policial, drama, suspense.

O Lobo Atrás da Porta, de Fernando Coimbra, conta a história do desaparecimento de uma criança; mas, mais do que isso, de um casal de amantes bastante duvidoso. Bernardo (Milhem Cortaz), o pai da menina sumida, tem um tórrido caso extraconjugal com Rosa (Leandra Leal), a quem conhece no metrô.

A partir de sua inconstante relação, ambos cometem atos impulsivos e essencialmente passionais – prejudicando um ao outro consecutivamente. A produção é considerada um dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos; segundo a lista de 2015 feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

Imagem: divulgação

 

As Boas Maneiras (2017)

Gênero: Fantasia, terror.

De Juliana Rojas e Marco Dutra, As Boas Maneiras fez muito barulho – para um filme nacional e do gênero –, logo que estreou. Sua originalidade narrativa e a força das personagens principais chamou a atenção da crítica especializada, que o avaliou com notas altas.

Ana (Marjorie Estiano) está grávida de seu primeiro filho. Ela, então, contrata Clara (Isabél Zuaa), uma mulher negra da periferia de São Paulo, para ser babá de seu futuro bebê. Mas, durante o desenvolvimento da gravidez, Ana começa a apresentar comportamentos muito estranhos. O longa foi selecionado para o Festival Locarno em 2017, da Suíça.

Imagem: divulgação

 

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta