Os 4 filmes da Pixar que trabalham melhor a representatividade feminina

Desde que a sinopse oficial de Os Incríveis 2 foi lançada, alguns internautas e cinéfilos masculinos têm demonstrado certo incômodo. Afinal, a Disney•Pixar divulgou que a trama central da continuação de seu filme de super-heróis será sobre a Mulher Elástica. Enquanto o Sr. Incrível ficará em casa cuidando de seus três filhos, a mãe de família brilhará individualmente.

Como era de se esperar, o lado machista da internet – que não é nada sutil – bradou contra o protagonismo feminino do novo longa-metragem. O filme estreia em 14 de junho deste ano (trailer aqui) e, para te ajudar a entrar no clima, a gente preparou uma listinha com os filmes da Pixar que trabalham melhor a representatividade feminina. Olha só!

 

1. VALENTE (2012)

Merida (voz original de Kelly Macdonald) é a rebelde princesa de um clã escocês. Extremamente corajosa e determinada a seguir seus sonhos, ela está em constante conflito com a mãe, a Rainha Elinor (Emma Thompson), que preza pelos bons modos da filha. Contra um casamento arranjado, Merida, então, decide se consultar com uma senhora idosa e cheia de poderes. Dirigido por Brenda Chapman e Mark Andrews, o longa está disponível na Netflix.

Trailer de Valente (Fonte: Walt Disney Studios BR / YouTube)

 

2. DIVERTIDA MENTE (2015)

Riley (Kaitlyn Dias) é uma garota comum de onze anos, que acaba de se mudar para São Francisco (Califórnia). Tomada por suas emoções – representadas pelas figuras animadas Alegria (Amy Poehler), Tristeza (Phyllis Smith), Raiva (Lewis Black), Medo (Bill Hader) e Nojinho (Mindy Kaling), que vivem dentro de sua mente – a menina passa por uma série de questões importantes ao próprio amadurecimento.

Dirigido por Pete Docter e Ronaldo Del Carmen, Divertida Mente conta com o protagonismo de Riley, uma garota que joga hóquei e super complexa; Alegria, uma figura feminina altamente determinada, e Tristeza, uma personagem extremamente profunda.

Trailer de Divertida Mente (Fonte: Walt Disney Studios BR / YouTube)

 

3. PROCURANDO DORY (2016)

Continuação de Procurando Nemo (2003), esta produção foca na história da peixinha com problemas de memória, Dory (Ellen DeGeneres). Na trama, Dory embarca em uma jornada para encontrar seus pais, dos quais se perdera ainda pequena. Além do retorno de Nemo (Hayden Rolence) e Marlin (Albert Brooks), Procurando Dory introduz novos personagens, como o polvo Hank (Ed O’Neill).

Dirigido por Andrew Stanton e Angus MacLane, o filme apresenta Dory como uma peixe fêmea muito mais independente e complexa do que aquilo que vimos em Procurando Nemo. Além do que, a continuação trata de forma sensível sobre a questão de deficiências mentais e físicas. Disponível no NET NOW.

Trailer de Procurando Dory (Fonte: Walt Disney Studios BR / YouTube)

 

4. OS INCRÍVEIS (2004)

E, por último, mas não menos importante, o filme que não poderia faltar nesta lista: Os Incríveis. Por mais que o longa de Brad Bird tenha como protagonista Bob Parr (o Sr. Incrível, ou Beto Pêra, em português), dublado originalmente por Craig T. Nelson, a produção abre grande espaço para que Helen Parr (a Mulher Elástica, ou Helena Pêra), interpretada por Holly Hunter, marque presença de maneira inesquecível.

Helen tem super-flexibilidade em todas as partes do corpo, luta com vilões de porte bem maior que o seu, cuida da casa, de seus três filhos e ainda lida com as crises de meia-idade de seu marido. Uma super mulher, em todos os sentidos.

Além de Helen, Violet Parr (Violeta Pêra, em português), a filha mais velha dublada por Sarah Vowell, é também uma jovem inicialmente insegura que, depois, aprende a controlar seus poderes de invisibilidade e produção de campos de força. Tanto Helen quanto Violet apresentam super-poderes totalmente compatíveis com suas personalidades, e ambas estão diretamente ligadas ao fato de serem mulheres. O filme está disponível na Netflix.

Clipe do lançamento em Blu-Ray de Os Incríveis(Fonte: Walt Disney Studios BR / YouTube)

 

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta