[Estreia] Mentes Sombrias é mais uma distopia adolescente, e regada de clichês

X-Men, Jogos Vorazes e Maze Runner. Junte todas essas séries – de livros que viraram filmes – e terá Mentes Sombrias; a mais nova distopia adolescente, que estreia nos cinemas nesta quinta (16).

Inspirado no romance homônimo de Alexandra Bracken, o longa-metragem conta a história de Ruby (Amandla Stenberg), uma garota que adquire poderes especiais, após ser infectada por um vírus que acomete crianças.

Chubs (Skylan Brooks), Ruby (Amandla Stenberg), Zu (Miya Cech), e Liam (Harris Dickinson) / Divulgação

Os sobreviventes da doença viral, tendo manifestado diferentes intensidades de poderes, são enviados a um campo de concentração, onde são obrigados a viver e a trabalhar. Ruby pertence à categoria mais elevada dos jovens poderosos e, por conseguinte, deveria ser executada. Mas, como uma boa heroína, a menina manipula as mentes de autoridades e se passa por “não-perigosa”.

Com o passar de alguns anos, Ruby tem sua verdadeira identidade descoberta e, com a ajuda da Dra. Cate Connor (Mandy Moore), consegue escapar. É assim que a adolescente conhece e vira amiga de outros jovens como ela: fugitivos e poderosos.

Dra. Cate (Mandy Moore) e Ruby (Amandla Stenberg) / Divulgação

De Jennifer Yuh Nelson (Kung Fu Panda 2 e 3), Mentes Sombrias é um simples filme de ação adolescente. Não há quaisquer refinamentos técnicos e/ou narrativos durante suas quase duas horas de duração – e, se o esperado é uma produção feita unicamente para entreter, assistir ao longa pode ser um bom programa. No entanto, a repetição de temas, os diálogos clichês e o desenvolvimento superficial dos personagens, não ajudam na história.

Por mais interessante que seja ver uma mulher negra (Stenberg) como protagonista, a representatividade da produção não é o bastante. A superficialidade da trama e o desgaste de sua proposta são realmente um problema. Dessa forma, fica difícil classificar Mentes Sombrias como um filme bom.

Liam (Harris Dickinson), Chubs (Skylan Brooks), Ruby (Amandla Stenberg) e Zu (Miya Cech) / Divulgação

Tudo o que está em tela – desde os personagens até as cenas de clímax – já foram vistos diversas vezes em longas do gênero. Não há sequer um momento memorável na produção de Nelson. Nem mesmo a vilã de Gwendoline Christie (Star Wars: O Despertar da Força), a caçadora Lady Jane, traz algo de efetivamente interessante a Mentes Sombrias.

Talvez, o cinema adolescente esteja, de fato, precisando de uma reinvenção; já que o tema distópico com triângulos amorosos é algo que parece não ter mais tanto apelo nos jovens. Com a emergência de assuntos verossímeis – como sexualidade, racismo, bullying, depressão, diferença de classes e etc. –, não falar sobre nada disso é subestimar o próprio público. Lembremo-nos de que não há nada de errado com temas fantásticos; mas, precisamos, sim, de originalidade, e de uma adequação aprimorada à realidade.

Ruby (Amandla Stenberg) / Divulgação

 

Ficha técnica

Direção: Jennifer Yuh Nelson

Duração: 1h44

País: EUA

Ano: 2018

Elenco: Amandla Stenberg, Harris Dickinson, Mandy Moore, Gwendoline Christie

Gênero: Fantasia, aventura, romance

Distribuição: Fox Film do Brasil

 

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta