Tudo sobre a 42ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

Evento tradicional do audiovisual brasileiro, a edição deste ano da Mostra Internacional de Cinema será realizada entre os dias 18 a 31 de outubro, em São Paulo (SP). Na 42ª edição do evento, mais de 300 títulos de países diferentes serão exibidos em mais de trinta espaços culturais – incluindo exibições gratuitas e ao ar livre, e também em Campinas (SP).

O evento tem como destaques principais a exibição de Roma, de Alfonso Cuarón, que venceu o Leão de Ouro em Veneza neste ano; a do cingapuriano Uma Terra Imaginada, de Siew Hua Yeo, que levou o Leopardo de Ouro em Locarno, e a do romeno Não Me Toque; vencedor do Urso de Ouro em Berlim, também em 2018.

Pôster da 42ª Mostra / Divulgação

Já a categoria Prêmio Humanidade da Mostra, que homenageia personalidades dignas de menção honrosa, será concedido ao japonês Hirokazu Kore-eda – diretor de Assunto de Família, que ganhou a Palma de Ouro do Festival de Cannes –, e também a Drauzio Varella – que participará da mesa Da Vida à Palavra; Da Palavra à Imagem, no II Fórum Mostra. O médico e célebre escritor receberá o prêmio antes da exibição da cópia restaurada de Pixote – A Lei do Mais Fraco (1980), de Héctor Babenco. Já a sessão deste clássico do cinema nacional será antecedida pelo curta-metragem Conversa com Ele, de Bárbara Paz (a ex-companheira de Babenco).

Segundo Renata de Almeida, a diretora do evento, a vinheta de abertura da 42ª Mostra Internacional de Cinema tem relação com o que acontece politicamente no Brasil. A arte da vinheta fora idealizada pela norte-americana Laurie Anderson – cuja instalação Chalkroom, em realidade virtual, ganha exposição no novo anexo do Cinesesc.

Foto: Mario Miranda Filho/ agenciafoto.com.br / Reprodução mostra.org

“Ela [Laurie] escolheu uma foto da própria instalação, de uma obra que fez em realidade virtual – e que vai abrir um espaço novo em São Paulo. (…) Por uma coincidência, a vinheta acaba representando muito do que está acontecendo no ano”, reflete a diretora da Mostra, em coletiva de imprensa no Espaço Itaú de Cinema Augusta (São Paulo).

Além das atrações citadas, o centenário do líder sul-africano Nelson Mandela será homenageado com a exibição de quatro títulos, como o inédito O Estado Contra Mandela e os Outros, de Gilles Porte e Nicolas Champeaux; e, também nesta edição, o Prêmio Leon Cakoff irá para o vencedor de Melhor Roteiro em Cannes, o iraniano 3 Faces (de Jafar Panahi).

Foto: Mario Miranda Filho/ agenciafoto.com.br
/ Reprodução mostra.org

Há ainda o Prêmio Petrobras de Cinema, que, neste ano, vai apoiar a distribuição de dois longas-metragens brasileiros, com R$ 100 mil para o melhor documentário e R$ 200 mil para a melhor ficção, ambos escolhidos pelo público.

Outros destaques da 42ª Mostra consistem na exibição inédita da cópia restaurada de Central do Brasil (1998), com a presença do diretor Walter Salles e do elenco principal; na exibição de cerca de trinta obras latino-americanas, e na realização do primeiro Mercado de Ideias Audiovisuais, em parceria com a Spcine e Cinema do Brasil.

André Sturm e Renata de Almeida. Foto: Mario Miranda Filho/ agenciafoto.com.br/ Reprodução mostra.org

De acordo com o Secretário da Cultura, André Sturm, “além de projetos de filmes, que é a essência e a base do evento, (…) também [desejo que] a gente possa ter autores falando sobre os seus livros – e que, eventualmente, poderão ter os seus direitos comprados –, compositores [falando] de [suas] trilhas…enfim; para que todos os talentos envolvidos em uma obra audiovisual possam ter a possibilidade de estar conversando (…); para que a gente possa ter uma produção audiovisual cada vez mais forte”.

Quanto ao novo aplicativo da Mostra, este trará as notícias sobre o evento em tempo real, além de permitir a compra de credenciais digitais, a reserva de ingressos para os credenciados e a compra de ingressos.

Foto: Mario Miranda Filho/ agenciafoto.com.br / Reprodução mostra.org

Para Claudiney Ferreira, gestor do núcleo de audiovisual e literatura do Instituto Itaú Cultural, a resistência de eventos culturais como a Mostra, no momento conturbado pelo qual a política brasileira passa, é de importância fundamental.

“O momento não é nada fácil para o Brasil. Mas, eu queria dizer que, ao parabenizar a 42ª edição, eu quero fazer de uma outra forma. Eu quero parabenizar as próximas edições da Mostra de Cinema. Eu não sei como…eu não sei o que vai acontecer com o Brasil, mas eu tenho certeza de que a Renata [de Almeida] e a equipe dela vão colocar de pé uma mostra no ano que vem. Isso é importante que seja dito”, avaliou Ferreira na coletiva de imprensa, seguido de aplausos calorosos dos demais presentes.

A 42ª Mostra Internacional de Cinema conta com os patrocínios da Petrobras e do Banco Itaú, e com copatrocínio da Sabesp, Spcine, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Para acompanhar a programação completa, fique de olho no site oficial do evento.

 

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta